SINDICATO DOS JORNALISTAS SOLICITOU VACINAÇÃO PRIORITÁRIA DESDE JANEIRO, MAS NUNCA FOI ATENDIDO

O Brasil lidera o ranking mundial de jornalistas que morreram em decorrência do coronavírus. Até o momento, foram 86 óbitos somente neste ano de 2021. No Maranhão, um número significativo de profissionais da imprensa local já faleceu, desde o início da pandemia, entre eles os jornalistas e radialistas Roberto Fernandes e Batista Matos, então vereador; o jornalista Ronald Damasceno; os radialistas Juarez Souza, Carlos Henrique (o “galinho”), e outros.

A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) está em campanha pela inclusão dos jornalistas brasileiros em um dos grupos prioritários na vacinação contra a covid-19. Na última sexta-feira (21), um abaixo-assinado digital (ver abaixo) foi criado, pedindo ao governo federal a inclusão da categoria entre as prioritárias na imunização contra a covid-19. Os jornalistas brasileiros não foram incluídos como grupo prioritário no Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. Mas, em alguns estados, como Piauí, Bahia e Mato Grosso, a imprensa local já foi vacinada por iniciativa de administradores públicos locais e até de parlamentares.

O PRESIDENTE DO SINDICATO DOS JORNALISTAS, DOUGLAS CUNHA: UM DOS PRIMEIROS SINDICATOS A SOLICITAR VACINA

Em São Luís, radialistas e jornalistas quase não se manifestam sobre o assunto. Nas redes sociais de poucos houve a repercussão do tuitaço promovido pela Fenaj, na sexta-feira passada, pedindo a vacina. O Sindicato dos Jornalistas do estado foi um dos primeiros do Brasil a pedir a inclusão dos profissionais como prioridade. A entidade enviou ofício, assinado pelo presidente Douglas Cunhas, ao governador do Estado, Flávio Dino e ao prefeito de São Luís, Eduardo Braide,  em 18 de janeiro, um dia após a primeira vacinação contra a covid, realizada em São Paulo, na enfermeira Monica Calazans, de 54 anos. O governo do Estado sequer se deu ao trabalho de responder ao ofício. A Prefeitura se manifestou, mas ainda não deu previsão de data. 

No estado, já foram vacinados professores, profissionais da Educação, da Segurança Pública, da Saúde, com inclusão de psicólogos e farmacêuticos que não estão na linha de frente da covid-19. Os jornalistas – que desde o início da pandemia trabalham bastante combatendo fake news e gerenciando um volume enorme de informações, a cada instante, em um fenômeno já chamado de infodemia – continuam a ver navios. E no Maranhão já há registro de navio que trouxe a grave variante indiana do coronavírus.

ABAIXO-ASSINADO PEDE VACINAÇÃO PRIORITÁRIA A JORNALISTAS

O abaixo-assinado criado pela Fenaj pretende mobilizar os jornalistas na articulação para inclusão entre os grupos prioritários do Plano Nacional de Vacinação (PNI) e será encaminhado ao Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass) e Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Participe! Assine aqui o abaixo-assinado virtual.

One comment

  1. Faltou divulgação do Sindicato dos Jornalistas da solicitação encaminhada ao Governador e Prefeito para vacinação da categoria contra o Covid.
    Imagine, se não fosse o Sindicato dos Jornalistas.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *