ROBERTO FERNANDES: VOZ QUE DEIXA ECO NO JORNALISMO MARANHENSE

O jornalista Roberto Fernandes teve morte cerebral nesta terça-feira (21), após quase 30 dias internado no Hospital UDI, em São Luís. Fernandes foi inicialmente diagnosticado com pneumonia e, em seguida, recebeu teste positivo confirmando a infecção com o coronavírus. Formado em jornalismo pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), tinha 61 anos e deixou enorme contribuição ao jornalismo maranhense, tendo passado pela antiga TV Educativa do Maranhão, pela  Rádio São Luís AM, Rádio Educadora AM e pelo Sistema Mirante, onde apresentou durante duas décadas o programa Ponto Final, na Rádio Mirante AM, posteriormente apresentando também um quadro de política no Bom Dia Mirante. Há quase 20 anos, Roberto concedeu uma entrevista à extinta revista Parla, fundada pela editora deste blog. O texto abaixo foi publicado na época em que ele apresentava, com estilo único, um dos programas de maior audiência do rádio maranhense, o Roda Vida, da Rádio Educadora, sintonia obrigatória da classe política, dos sindicatos e população em geral. Ao republicarmos a reportagem fazemos também a nossa homenagem ao Roberto Fernandes e sua história na imprensa do Maranhão.

ENTREVISTA CONCEDIDA POR ROBERTO FERNANDES À REVISTA PARLA, COM PARTE DA HISTÓRIA DE VIDA DO COMUNICADOR

A VOZ QUE DÁ VEZ AO POVO

Na infância em Ribeirão, interior de Pernambuco, ele costumava brincar com um caneco de alumínio, ouvindo o som da própria voz. Aos 16 anos, a brincadeira ficou séria quando passou a acordar às 5 da manhã e percorrer mais de 50 quilômetros até a rádio Difusora de Limoeiro para substituir o pai na apresentação de um programa do sindicato dos trabalhadores rurais. Em 1978, ele inicia a longa estrada na rádio Educadora do Maranhão Rural, de propriedade da Arquidiocese de São Luís. Na década de 80, acaba sendo demitido da Educadora pelo bispo Dom Motta por causa de uma greve em companhia dos colegas Roberto Kenard, Sílvia Cordeiro, Norma Nascimento e o padre Marcos Passerine. Na rádio São Luís, Roberto chegou a ter 80% de audiência, a maior do estado.

DE ENTREVISTADOR A ENTREVISTADO: FERNANDES, NA ÉPOCA AOS 40 ANOS

Após ter sido um dos locutores das primeiras FMs de São Luís, cansou “daquele negócio de gatinha” e voltou à rádio Educadora com a proposta de fazer jornalismo em estado puro.  Hoje, o apresentador do programa Roda Vida, Roberto Fernandes, de 40 anos, é considerado um dos melhores entrevistadores do Maranhão. Como os bons profissionais, ele tem a fama de ser um devorador voraz de revistas, jornais e livros, chegando a irritar a esposa Sueline porque prefere acumular papéis e não jogar nada fora. De segunda a sábado, das 8 às 11 da manhã, o Roda Viva é a sintonia obrigatória para quem quiser saber o que acontece na cena e nos bastidores políticos e econômicos do Estado.

Com apoio da equipe formada por Nonato Costa (operador), Deny Cabral, Tony Castro e Herbert Pereira (repórteres), Roberto tem sido fundamental para que a frase “jornalismo com credibilidade” não se torne apenas mais uma vinheta radiofônica. “Aquilo que eu faço na rádio é aquilo que eu procuro ser”, diz com crédito de profissional respeitado, entrevistador incisivo e decisivo em muitos episódios da política maranhense. Todos os dias, antes de começar o programa é possível escutar o BG de música sacra, clamando a verdade, a justiça e a coragem de que o jornalismo maranhense tanto necessita. Vale a pena ouvi-lo.

Flávia Regina Melo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *