OS VULNERÁVEIS

O Instituto Votorantim estabeleceu, esta semana, mais um índice para mensurar a vulnerabilidade dos 5.561 municípios brasileiros, tendo como referência a ameaça de agravamento da pandemia do coronavírus. O Índice de Vulnerabilidade Municipal (IVM) é baseado em dados disponíveis em diversas bases oficiais e considera o cenário mais recente anterior ao início da pandemia.

No levantamento, foram usados somente dados públicos de diferentes bases, como a do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), do Sistema Único de Saúde (SUS),  Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) e Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANSS). Número de leitos disponíveis na UTI e de respiradores são indicadores importantes, mas não são os únicos, pois o IVM considera fatores ainda como a proporção da população idosa, o PIB per capita e a situação fiscal da cidade. O objetivo não é avaliar ações, mas oferecer visão consistente aos gestores públicos e privados para estratégias de ação no combate ao Covid-19.

O INDICADOR MONITORA TODAS AS MAIS DE 5 MIL CIDADES DO BRASIL

São Luís vulnerável – O Índice varia de 0 a 100. O valor mais próximo de 100 indica que é maior a vulnerabilidade. Na lista dos municípios com maior vulnerabilidade, o município maranhense de Timbiras aparece entre os piores do Brasil, com 73,35. Em situação pior no país, está o município de Mojuí dos Campos, no Pará, com 75,65. Entre as capitais do Nordeste, São Luís, com 50,21, possui índice de vulnerabilidade pior do que Teresina (46,66), Natal (47,98), Recife (43,92), João Pessoa (49,16), Aracaju (45,51), Salvador (47,73).  A capital maranhense só não está em situação pior do que Maceió (57,10) e Fortaleza (55.34).

MARANHÃO POSSUI GRANDE MAIORIA DOS 217 MUNICÍPIOS EM SITUAÇÃO DE ALTA E MÉDIA VULNERABILIDADE

No Maranhão, segundo o indicador, os piores municípios são: Timbiras, Afonso Cunha, Sambaíba, Apicum-Açu, Mirinzal, Guimarães, Bela Vista do Maranhão, Conceição do Lago-Açu, Tufilândia e Paraibano. Um alto índice de vulnerabilidade municipal não significa, necessariamente, maior número de casos de coronavírus, com os critérios estabelecidos por este estudo. Outros análises de quanto os municípios brasileiros são vulneráveis à Covid-19 estão sendo criados, como a da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), com outros referenciais.

A melhor notícia – entre tantas para se lamentar – é que o Brasil começa a buscar respostas para o quê, de fato, é prioritário. A busca por informações sobre leitos, serviços públicos essenciais, qualidade de vida, faixa etária, renda e probidade administrativa é um bom começo.

Foto: Flávia Regina Melo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *