A CIDADE SUBMERSA DE MARÇAL ATHAYDE


Depois de quase trinta anos de sua última individual na cidade, o artista plástico Marçal Aquino, que vive no Rio de Janeiro desde o final dos anos 80, apresenta suas novas obras na exposição Labirintos por onde me perco, reunindo 45 novos trabalhos, entre pinturas, esculturas e objetos.

São obras de óleo sobre tela, guache sobre papel, acrílico, óleo sobre relevos de madeira sobre tela e óleo sobre madeira.  O vernissage, no Museu Histórico e Artístico, foi aberto nesta terça-feira (17), 19h. A exposição ocupará, além do espaço da galeria Floriano Teixeira, o anexo e os jardins do museu, até o dia 26 de janeiro de 2020.

O ARTISTA PLÁSTICO MARANHENSE, MARÇAL AQUINO, VIVE HÁ MAIS DE 30 ANOS NO RIO DE JANEIRO E EXPÕE NO MARANHÃO SEUS LABIRINTOS POR ONDE ME PERCO

“É um momento de retribuição a todas as pessoas que apostaram no meu trabalho, dando força, dizendo: vá em frente, você tem talento, você vai conseguir. Vivo há 34 anos no Rio, mas ainda tenho uma relação profunda com São Luís”, afirma Athayde.


A última exposição solo de Marçal Athayde na cidade foi em 1991. De lá pra cá, ele participou da mostra conjunta Três Pintores (Palácio dos Leões, 1996), da coletiva Arte Hoje (Espaço Fátima Lima, 2000) e fez uma exposição de desenhos Contos Inocentes (Sesc, 2001), esta última com as ilustrações que criou para um livro de Arlete Nogueira Machado.

Labirintos por onde me perco é resultado de uma pesquisa que o artista vem desenvolvendo a partir das cidades, buscando nelas os diversos aspectos formadores de seus labirintos, com suas taxas populacionais, geopolítica, história e formação arquitetônica. Tudo isso serve de mote para os elementos plásticos que permeiam a poética dos novos trabalhos.

“De uma certa forma é uma leitura antropofágica das novas e velhas metrópoles, suas edificações históricas e seculares, e as novidades tecnológicas em contraponto às ruínas das velhas áreas outrora habitadas”, explica.

O evento é uma realização da Galeria Hum, que representa o artista em São Luís, e tem patrocínio da Mateus Extreme, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo do Maranhão.
 “Marçal Athayde é um dos artistas maranhenses mais importantes. Há muito tempo que a gente queria ver os trabalhos dele expostos numa individual aqui em São Luís. Estamos muito felizes em poder recebê-lo aqui depois de quase 30 anos”, afirma Ana Luiza Nascimento, da Galeria Hum.

A exposição ficará aberta ao público até o dia 26 de janeiro, das 10 às 18h.


SERVIÇO

O quê? Labirintos por onde me perco,
exposição de Marçal Athayde
Local: Museu Histórico e Artístico do Maranhão
Data: de 17 de dezembro de 2019 a 26/01/2020

Realização: Galeria Hum
Patrocínio: Mateus Extreme (por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo do Maranhão)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *